Sobre mim e a paixão pelos Quadrinhos

Revistas em quadrinhos fazem parte, inegavelmente, da cultura mundial. Por isso temos contato constante com essa forma de arte, seja numa visita à banca de jornal, nos desenhos animados que assistíamos ou assistimos na TV, nos brinquedos expostos em vitrines de grandes lojas ou até nas adaptações cinematográficas Marvel/DC.

Portanto é fácil afirmar que, desde que me conheço por gente, sei quem é o Homem-Aranha, o Batman e o Superman. Quando assisti a alguns filmes de super-heróis pude ver que existem muito mais deles do que pensava, mas meu conhecimento sobre a nona arte continuava bem limitado.

Foi no começo de 2014, na faculdade, que tive o primeiro contato “real” com um quadrinho. Fui presenteado por uma amiga (valeu Daiane) com um exemplar encadernado de Crise Final. Um livro grande, muito bonito, em capa dura, formato de luxo… algo muito diferente dos livros que eu estava acostumado a ler. Fiquei muito feliz pelo presente e pretendia ler aquilo o mais rápido possível. Porém eu tinha uma vaga ideia sobre Cronologia de super-heróis e sabia que as histórias eram sequenciais. Resolvi então esperar e, quando tivesse tempo, fazer uma pesquisa sobre aquela história para não ficar perdido na leitura.

Por diversos motivos essa pesquisa demorou alguns meses para ser feita e o quadrinho ficou parado na estante. Quando finalmente resolvi aprender algo sobre Crise Final tive uma (não muito grata) surpresa: a grande maioria dos fãs dizendo que essa história era confusa e muito difícil de acompanhar. Em um desses comentários li que “para entender essa saga tem que conhecer muito bem a cronologia da DC”. Fiquei instigado a conhecer mais do universo dos quadrinhos e o que era uma ingrata surpresa se tornou o tiro de largada para começar minha coleção.

Passei a usar todo meu tempo livre para pesquisar sobre quadrinhos. Li sobre alguns heróis, comecei a entender como funciona a venda de HQ’s no Brasil, fiquei espantado com alguns preços no “mercado paralelo” de HQs e encontrei canais no youtube sobre o tema. Claro que tudo isso ficou mais fácil por ter uma namorada que, desde criança, lia histórias em quadrinho (beijo, Lari s2).

Apesar de tudo isso, ainda estava longe de responder a principal questão de quem está começando a ler quadrinhos: “Qual HQ é a ideal para eu comprar primeiro?”. A prova disso é que o primeiro material que comprei foi o mix mensal Homem de Ferro & Thor #8. Não sei porque, mas eu não tinha visto esse número 8 e por isso achei que entenderia tudo o que estava lá dentro. Quando percebi a burrada comecei a procurar as 7 primeiras revistas da dupla e, aí sim, minha mente começou a entender como funciona esse mercado. Meu tempo passou a ser dividido em visitar livrarias, acompanhar reviews de materiais no youtube e ler tudo o que conseguia sobre super-heróis.

Após um período eu já estava conhecendo e me importando mais com os personagens, buscando ler as HQ’s sequencialmente, em ordem cronológica. Entendi também que os heróis passam por Fases conforme cada novo autor assume seus roteiros. Hoje em dia eu já elaboro projetos e metas de leitura e procuro contextualizar cada material que tenho em mãos. Como fato curioso vale dizer que até hoje não li Crise Final, meu primeiro quadrinho… mas espero que isso ocorra em breve, quando eu por em prática o projeto “Cronologia da DC”!

Enquanto eu buscava conhecer tudo isso que escrevi acima, aprendi que quadrinhos podem proporcionar leituras de qualidade, profundas e que apresentam questões para se pensar por uma vida toda. Watchmen, Maus, Nova York, Sandman e V de Vingança são exemplos disso! E se engana quem pensa que super-heróis são sinônimos de histórias rasas. Cavaleiro das Trevas, A Queda de Murdock, Grandes Astros Superman e Saga da Fenix Negra estão entre as leituras obrigatórias de qualquer fã da nona arte.

E essa foi a jornada de como me tornei um colecionador de quadrinhos. Espero, com esse Blog, conseguir passar um pouco da minha experiência no assunto e que vocês tenham mais uma fonte de informação com qualidade.

Um grande abraço!

Rodolfo Borges
Formado em contabilidade e cursando matemática pela Universidade de São Paulo. Tem como hobby principal, além do Krav Maga, a leitura. Apaixonado, logo de primeira vista, pelos quadrinhos.